O desarmamento NÃO diminuiu os homicídios

Eu já acreditei neste argumento: "o homicídio diminuiu após o estatuto do desarmamento".
Não é só um ou outro gráfico aleatório por aí, de fato há vários deles de diferentes fontes que apontam para a mesma direção:

Detalhe: este gráfico acima mostra o crescimento acelerado, mas não considera que o total da população brasileira começou a cair a partir de 2000, além de começar a contagem em 1980, que é justamente a época em que mais houve o crescimento, e ainda há mais outro caso que explicarei abaixo —
Para quem procura por gráficos que apoiam a sua opinião, isto é tudo o que precisam.

Mas vamos lembrar que por trás de qualquer gráfico, há muitas variáveis.

Neste caso, é simples...


Este gráfico explica tudo.

Se você teve qualquer dificuldade de interpretação, lembrando que "ESP" = "Estado de São Paulo":
Vermelho: é o que vemos nas imagens acima, provando que no ano do estatuto do desarmamento houve uma queda;
Azul: homicídios no estado de São Paulo;
Verde: homicídios no Brasil, excluindo o estado de São Paulo.

Está claro que a queda que vemos no primeiro gráfico foi causada pela queda do estado de São Paulo.

A linha verde prova que os homicídios continuou crescendo no Brasil, mesmo após o estatuto do desarmamento.

A queda que vemos ocorreu no estado de São Paulo, que, inclusive, é uma queda que começou no ano de 2000.

Também, não é só este gráfico, eu não fiz cherry-picking, basta procurar por mais gráficos de homicídios do estado de São Paulo, as estatísticas sempre apontam para o mesmo lado.
Somente 8 estados (incluindo Rio de Janeiro) apresentou alguma queda, e nada drástico, a queda drástica só ocorreu em São Paulo.
Há vários outros estados que aumentaram ainda mais:

Certo, mas então qual é a explicação para São Paulo? Quer dizer que o estatuto do desarmamento só funcionou ali?

Encontrei um ótimo artigo que fala sobre o caso.

http://periodicos.ses.sp.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-42722010000600003&lng=pt&nrm=iss

Em destaque:
O relator afirmava que a queda era resultado de classificação inadequada dos óbitos por homicídios que ocorreria no País, uma vez que a polícia deixaria de classificar os "autos de resistência", isto é, as mortes provocadas pela própria polícia, como homicídios. Complementava ainda que "não temos nenhuma confirmação de fontes independentes de que esta queda de fato esteja ocorrendo".
O relatório oficial do relator, embora cite documento do Governo de São Paulo que aponta a queda de homicídios no Estado, afirma que "In fact, the real homicide rate for many states in Brazil, including Rio de Janeiro and São Paulo, is significantly higher than official statistics suggest because on-duty killings by police are excluded from the homicide statistics"

Gostaria de sobressair e traduzir esta última frase:
"De fato, a real taxa de homicídios para vários estados do Brasil, incluindo Rio de Janeiro e São Paulo, está significantemente maiores do que o que as estatísticas oficiais sugerem, porque as mortes provocadas pela própria polícia são excluídas das estatísticas de homicídios" — tradução livre.

Portanto, parem de usar este gráfico para provar que os homicídios abaixaram!

No entanto, isto também não é nenhuma "prova" de que devemos revogar o estatuto do desarmamento (Por que seria?). Isto só mostra que este argumento é falho e devemos excluí-los de debates.

Não importa se você é contra ou a favor o desarmamento, o fato é que este argumento tem que ser excluído afim de proporcionar debates de melhores qualidades, com menos achismo e mais fatos.

Related Posts

O desarmamento NÃO diminuiu os homicídios
4/ 5
Oleh